viernes, 27 de enero de 2012

RIMA

RIMA

Meu tempo adentra o quanto não mais sinto
Nem mesmo se emoldura noutra face
E quanto mais deveras se mostrasse
Ousando noutro instante, raro instinto,

Lutando contra a fúria, quase extinto,
O mundo se tramando num impasse,
Vencido sonhador não mais traçasse
O quadro sem sentido e sei que minto,

Organizando os erros do passado,
O tempo noutro tempo desenhado,
E o fim de cada encanto se aproxima,

Na fonte extasiada do que um dia
Pudesse e na verdade não traria
Sequer o quanto quero em nova rima.

GILBERTO FREITAS

No hay comentarios:

Publicar un comentario